Menu

A Linha e o Linho

“É a sua vida que eu quero bordar na minha
Como se eu fosse o pano e você fosse a linha
E a agulha do real nas mãos da fantasia
Fosse bordando ponto a ponto nosso dia-a-dia
E fosse aparecendo aos poucos nosso amor
Os nossos sentimentos loucos, nosso amor
O zig-zag do tormento, as cores da alegria
A curva generosa da compreensão
Formando a pétala da rosa, da paixão
A sua vida o meu caminho, nosso amor
Você a linha e eu o linho, nosso amor
Nossa colcha de cama, nossa toalha de mesa
Reproduzidos no bordado
A casa, a estrada, a correnteza
O sol, a ave, a árvore, o ninho da beleza”

Música de Gilberto Gil

Só em pegar a linha, o linho e sentar para bordar, nosso corpo automaticamente já se acalma.  É pura terapia.  Enquanto vamos bordando e vendo se formar o desenho escolhido, organizamos nossas vidas, pensando sobre nossas escolhas e atitudes.

Ultimamente ando fascinada por bordadinhos simples em toalhinhas, panos de prato, almofadas e barrados de cortinas.

Sempre que começo um bordado ou qualquer outro trabalho manual que envolva tecido, tenho o hábito de passar água de lavanda sobre tecido. Sentir esse cheirinho enquanto se borda é muito prazeiroso.

Esses bordados das imagens são muito simples de executar, basta um tecido de algodão, de preferência linho, uma meada de linha de seis fios, bastidor pequeno, carbono para tecido e um lápis.

Esses bordados eu encontrei no Pinterest, lá você encontra vários outros riscos para compor seu bordado.

9 comentários

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *