Menu

Pantanal: uma imersão na natureza

Pantanal Mato-grossense

Mês passado fui visitar o Pantanal, no Matogrosso. Confesso que fui sem nenhuma expectativa. O turismo brasileiro tem me decepcionado muito. Minha preocupação maior era em não servir de comida de mosquito. No entanto, como gosto de viajar, nem que seja para dizer, na volta, como é boa minha cama, lá fui eu e meu marido para o Pantanal Mato-Grossense.

 

A viagem

Fomos com uma excursão do SESC Floripa, organizada para a comunidade e associados. Como meu marido é velho está na “melhor idade”, a viagem teve um belo desconto. A maioria eram pessoas da nossa idade, gente divertida e simpática. Éramos em 38 pessoas.
Fomos de avião até Cuiabá. O SESC nos pegou e nos levou para um hotel no centro da cidade. No dia seguinte, com um ônibus fretado, partimos para a Chapada dos Guimarães.

Chapada dos Guimarães

 

A Chapada dos Guimarães

Fica aproximadamente a 65 km de Cuiabá. É algo grandioso e lindo, uma geografia bem diferente da nossa. Acredito que dê para melhorar bastante a infraestrutura turística daquele local. É uma pena a falta de cuidado que as autoridades públicas têm com o turismo no Brasil. Lamentável!

 

O hotel

Nesse mesmo dia, seguimos a caminho para o SESC Porto Cercado – Pantanal, que fica a 145 km de Cuiabá.

O Hotel SESC Porto Cercado – Pantanal é mais um “padrão SESC”, ou seja, tudo é perfeito. Pessoas bem treinadas para receber o turista, quartos e demais dependências não perdem em nada para resorts de alto padrão internacional. Só senti falta de secador de cabelos no quarto, mas resolvi não secar e aproveitar a viagem. No final, não fez tanta falta.
Pantanal

 

O rio Cuiabá

Chegamos à noite e, no dia seguinte, fomos fazer um passeio de barco pelo rio Cuiabá. Navegamos 38 km no total. É uma imersão na natureza.
Minha irmã sempre dizia que só se conhece o Brasil depois de conhecer o Pantanal. E ela tinha razão, não imaginava a imensidão de água e de vegetação.

A natureza é tão exuberante que até parece que pulsa. Gravei bem esse momento para lembrar em uma hora que eu precisar me acalmar.

 

Focagem noturna

A noite saímos para fazer focagem noturna. Foi um dos momentos mais incríveis quando o barqueiro desligou o motor do barco. Ficamos à deriva naquela imensidão de água, num céu que não cabia mais nenhuma estrela, e ele nos contando histórias da vida do ribeirinho. Quando desci do barco, fui caminhando ao hotel em silêncio e agradecendo ao universo por aquele momento divino.

 

“Seu” Dito Verde

O SESC possui uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) com 107.996 hectares. Para isso, ele indenizou vários moradores da região. O Sr. Dito Verde, uma figura folclórica que mora na reserva por gerações, continuou morando na mesma casinha e, hoje, é funcionário do SESC. O trabalho dele é ser o que é e contar “causos” para os visitantes. “Seu” Dito (Benedito) tem 78 anos, por mais de 10 anos 🤔; foi casado seis vezes; sua filha mais velha tem 61 e a mais nova tem apenas 5 anos.

Assista ao vídeo, veja a risada dele e depois me diga: esse homem sofre de depressão?

Esta é a casa do “Seu” Dito.

 

Outros moradores

Tuiuiu – Foto: Renato Gremm

Falcão do Pantanal – Foto: Fernando Stankuns

 

O Spa

O Spa Vida e Saúde do SESC Pantanal é comparado aos dos grandes resorts, mas o preço é bem acessível. Como adoro massagem, aproveitei muito. Só não fiz mais porque não existia mais horários disponíveis.

 

CONCLUSÃO

Foi uma das melhores viagens que já fiz. Ficamos lá cinco dias e parece que foi pouco. Voltei com as baterias carregadas para seguir em frente.

Ah! Só para constar, na época da seca, não tem mosquito no hotel.

11 comentários
  1. maria das dores kunz nunes
  2. cleia
  3. LUIZ SAULO LÜCKMANN

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *