Menu

Delícias e contratempos de uma reforma

Pois bem, resolvi reformar minha cozinha, do piso à torneira, passando pelos eletrodomésticos. Praticamente botei tudo abaixo. Foi um mês lavando a louça no tanque e almoçando fora.

Louca? Confesso que adoro uma reforma. Não tenho esta de “vai dar muita sujeira, então vou deixar assim”. Quando encasqueto com alguma coisa, nada me faz mudar de ideia. Veja aqui o início dessa loucura quando resolvi colocar massa sobre os azulejos.

E fui assim, sem um arquiteto para me ajudar, fazendo na intuição, pesquisas em revistas e sites de decoração sobre decoração de cozinha, e é claro, um bocado de senso de estética. Mas também estive rodeada de bons profissionais para executar os serviços. Sou muito chata, e eles me aturaram numa boa!

Munida de vários modelos de cozinha na internet, comecei fotografando minha cozinha e fazendo testes no Photoshop. Só tinha certeza que queria tirar o azulejo e colocar massa corrida. A inspiração veio de uma parede cinza, com pratos pendurados, na cozinha do programa Cozinha Prática, da GNT.

Antes fui em várias lojas que vendem azulejos e pisos. Minha primeira opção era por pisos hidráulicos, mas desisti por causa da altura e da dificuldade de manutenção numa cozinha. O preço ajudou na decisão. Acabei encontrando um piso da Ceusa que amei. Ele imita o hidráulico e é muito resistente. Um bocado caro também, mas o custo benefício em reforma  sempre vale a pena, afinal vai durar anos.

Coloquei azulejos somente na área de respingo, foram colados sobre os antigos com uma cola especial. Tudo feito pelo marido da minha empregada, um excelente pedreiro, super caprichoso. Obrigada pela sua paciência e boa vontade, Maurício.

Até aí tudo bem. Chegaram os móveis, o forno elétrico não cabia, ajusta daqui, ajusta dali, deu certo. O coitado do Leonel, o marceneiro que fez todos os móveis da minha casa, devia receber o troféu da boa vontade e do bom humor. Ele deve ter ido umas dez vezes na minha casa em um mês.

Resolvi colocar Silestone na bancada da pia. Na hora de tirar a torneira antiga, não havia cristo que conseguisse e acabaram rachando o cano.
– Para, para tudo! Chama o encanador, quebra a parede, coloca uma emenda no cano.

Duas horas depois estava tudo pronto para colocar a bancada.
Por sorte, faltou luz na hora que ele iria furar o buraco da torneira, porque seria no lugar errado. Ali meu santo foi mais forte! Ufa! A bancada ficou maravilhosa. Outro trabalho perfeito da Marmoraria do Flávio.

Nesse meio tempo, veio a assistência técnica do fogão a gás para a instalação. Só poderiam instalar segundo as normas do Corpo de Bombeiros. A tomada e a torneira do gás não deveriam estar atrás do fogão, blá, blá, blá… Imaginem as obras prontas e eu ter de quebrar tudo para fazer essas mudanças? Nem pensar!
– Moço pode ir embora, desculpa, muito obrigada, mas o santo marido da minha empregada vai fazer isso.

Tive de comprar duas mangueiras porque a primeira não funcionava, mas depois deu tudo certo.


Tudo pronto. Colocamos os pratos na parede. Ficaram lindos sobre a parede cinza.

Ainda estava em dúvida quanto as cores da mesa e das cadeiras, que foram as únicas peças que mantive. Mas minha filha deu a ideia de trazer da sala as cadeiras dos Jetsons Cowboys – foi assim que apelidei essas cadeiras que comprei em móveis usados e mandei restaurar com pele de vaca. Adorei, elas deram à cozinha aquele toque de decoração descolada e inesperada que gosto.

Com a cozinha pronta, meu filho, que está tomando gostinho pela culinária, fez o primeiro almoço de domingo, delicioso!Bem, agora estou com uma cozinha nova, seis meses para pagar as contas, sem ir a shoppings e sem comprar roupinhas e sapatos. Mas valeu a pena, ficou linda.

Ainda estou insegura quanto ao amarelo da mesa, achei um pouco over. Aceito sugestões de cores. Vejam as fotos e me digam o que vocês acharam?

Profissionais, aqui da Grande Florianópolis, que trabalharam comigo e eu indico:

  • Pintor e massa sobre azulejo: Lico – Fone (48) 99612-4116
  • Laca da mesa e restauração das cadeiras: Juvenil – Fone (48) 9967-6013

* A tinta que usei na parede é uma acrílica fosca da Suvinil. Vapor de água B397.

E não é que minha cozinha foi parar na revista Casa ClaudiaCozinha da leitora é perfeita para receber

E depois na revista Minha Casa “Prato do dia: Carinho”

67 comentários
  1. Vinicius Pereira
  2. flavia
  3. Maria Rita
      • Maria Rita
  4. Marcia
  5. denise
  6. denise
  7. denise
  8. Dete
  9. Simone
  10. Camilla
  11. Vilma Erculano da Silva
  12. Socorro Corrêa

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *